Postado por
Reflexões, Sem categoria

Liderança Lean

Antes de entrar no detalhe a respeito da liderança lean, vale uma pequena provocação sobre alguns líderes internacionalmente famosos como Nelson Mandela, Walt Disney, Steve Jobs, Martin Luther King e por aí vai…. Muitos outros poderiam ser lembrados aqui, mas o ponto chave da minha provocação é a seguinte, será que eles conheciam o termo liderança lean? Com certeza não, mesmo porque o termo começou a ganhar destaque na década passada, porém, mesmo assim são definitivamente grandes líderes lean! cada um com sua habilidade e poder de mobilização e transformação massiva, gostem ou não da causa.

Liderança é liderança desde os primórdios, basta uma breve consulta nos principais manuais de liderança para perceber que a essência é a mesma, influenciar pessoas, ter coragem, ser um bom comunicador, tomar decisões, desafiar a equipe e um exemplo a ser seguindo. Então para mim o que existe é líder bom e líder ruim. Alguns já nascem com essa habilidade e outros precisam buscar seu desenvolvimento.

Obviamente estamos vivenciando um período de muitas incertezas e a única certeza é que o dia de amanhã será diferente do dia de hoje, como sempre foi. Diante dessa afirmação, o papel do líder também precisa se adaptar ao novo cenário. Liderança é como seu celular, diariamente chegam atualizações, caso não nos atualizemos, corremos o risco em ficar obsoletos.

Para mim são três os principais papéis de um bom líder, os quais vou fazer um paralelo com alguns termos ou conceitos explorados pelo lean manufacturing. E aqui estão:

O primeiro é a importância do líder em apontar a direção. Por aqui trago conceitos do  Hoshin Kanri, garantir que a estratégia de uma empresa é executada em todos os níveis organizacionais. Um bom líder, garante que cada indivíduo conhece e suporta no detalhe sua parcela de contribuição ao objetivo da empresa e se certifica que estamos no caminho certo. Por isso um bom líder precisa ser consistente no seu processo de comunicação, certificando que o processo de comunicação gera resultado.

Além de apontar a direção, o líder também precisa sair na frente, criar um ambiente onde o erro ou problema seja acolhido, e com isso um processo sistêmico de resolução de problemas e aprendizagem contínua. Muito se fala sobre autonomia com responsabilidade e essa também é uma forma concreta do líder demonstrar o respeito pelas pessoas, erre, mostre o problema e contribua com um kaizen.

O segundo está relacionado com aplaudir enquanto a turma avança. Aqui podemos explorar o famoso “genchi gembutsu”, que não se traduz com simplemente uma ida ao gemba, mas também estar presente e desenvolver as pessoas, ver por si mesmo, encontrar melhor maneira, inspirar e entender com fatos. Gosto muito de comparar com uma partida de futebol, podemos escolher o conforto do nosso sofá, da nossa televisão ou então decidir ir ao gemba, ir ao estádio, jogar com o time e se arrepiar com o uníssono da torcida! Percebem a diferença?

Por fim e não menos importante é criar um cultura positiva com relação às pessoas. Ter certeza que todos recebem respeito e dignidade todos os dias, estar seguro em dar a cada indivíduo um trabalho que faça significado a sua vida e ter certeza que cada um seja reconhecido pelo que faz, mesmo que seja informalmente.

Esses são alguns pontos importantes de uma boa liderança, lembrando que comportamento não nasce do passo a passo e sim da repetição constante de atos. Aqui também deixo um gancho para um próximo artigo sobre ganhos com segurança e qualidade através da repetição sistemática das atividades.

Rafael Souza