Postado por
Reflexões

A jornada em busca do zero defeito por meio do WCM (World Class Manufacturing) e pela experiência de uma profissional como líder do pilar da Qualidade.

Hoje vou dividir com vocês um pouco da minha jornada na área da Qualidade e minha experiência trabalhando com o sistema WCM (World Class Manufacturing) como responsável pelo pilar de Qualidade.

O WCM é um programa estruturado em 10 pilares técnicos e 10 critérios gerenciais combinados ​​para uma gestão integrada com objetivo de alcançar altos níveis de excelência. Tem como premissa atingir o “lindo número zero”, seja ele, Zero acidentes, Zero defeitos, Zero quebras e Zero perdas. Sua criação se deve inteiramente ao Dr. Prof. Hajime Yamashina, professor emérito da Universidade de Kyoto e membro da RSA (Academia Real Sueca de Ciências da Engenharia).

A metodologia do WCM é fundamentada nos diversos pilares e tem como objetivo atingir o conceito filosófico do zero e para buscar esse conceito, travamos batalhas que de início podem parecer inviáveis economicamente, mas no decorrer da aplicação, alcançamos o entendimento que a principal tarefa é gerar uma cultura do não conformismo e melhoria contínua.

O resultado da aplicação e desenvolvimento dos pilares visa a geração de um maior envolvimento de pessoas, criação de valor e clientes mais satisfeitos.

No pilar de Qualidade essa mudança é refletida principalmente no zero defeito. Com a aplicação da metodologia e técnicas, o alvo é diminuir drasticamente a quantidade de produtos e serviços fora do padrão definido, e consequentemente reduzir custos da má qualidade.

Este pilar é formado por um conjunto de atividades que tem a função de definir as condições necessárias de um processo, tendo como grande preocupação identificar, reduzir e eliminar perdas.

 

Se por um lado temos a qualidade de um produto ou serviço como fator diferencial, por outro temos os custos associados a manter esse padrão.

Uma questão recorrente é a relação custo benefício na busca do zero defeito, isto é, alocar pessoas e recursos para se atingir o zero defeito, e isto seria lucrativo do ponto de vista econômico?

 

Analisando os resultados de empresas que implementaram a metodologia do pilar de Qualidade, pode-se observar a melhoria de indicadores, dentre eles, a redução do custo de garantia, diminuição do índice de reclamação de clientes e menos retrabalhos.

Especialmente a análise dos dados de qualidade do cliente final e a associação destes com as possíveis melhorias necessárias nos processos internos geram grande benefício para toda a compania.

A questão chave para atingir resultados e, além disso, sustentar estes resultados com o passar do tempo é o envolvimento de todos os níveis da organização e a integração dos diversos pilares, com base em um plano de longo prazo suportado pela liderança.

A busca pelo zero defeito é incansável e deve ser meta de todos os níveis hierárquicos da empresa, a colaboração e o trabalho em equipe são fundamentais e aliados a correta aplicação de métodos e ferramentas o resultado virá e será o fator motivacional na jornada para alcançar a excelência.

Boa jornada pra você,

Denise Bocalon